Skip to content

16º ENCONTRO DA SUB-REGIÃO CAMPINAS – PASTORAL FAMILIAR * “Discípulos Missionários em Ação”

10 de julho de 2011

Discípulos Missionários em Ação!

Quem não tomar sua cruz, não pode ser meu discípulo.

– A Pastoral Familiar tem que ter:

1- Engrenagem: setores que a movimentam

 2- Desafios: metas a serem alcançadas com vitória

 3- Esperança: soluções a curto ou longo prazo.

– Temos primeiro que entender: A Pastoral Familiar é uma célula extremamente humana e difícil. Precisamos ter agentes coordenadores que saibam coordenar com sinceridade e muita verdade, acompanhando sempre as mudanças e principalmente que saibam administrar o caos.

– O agente de pastoral tem que enfeitar a terra com seu trabalho:

1- ser para (doar-se, dar-se para ser comido, pão partido e repartido)

2- não podem ter uma maturidade aparente. Estamos em processo de maturidade física para a saúde do corpo, mas precisamos crescer neste amadurecimento também no espiritual, procurando colocar Cristo a frente de tudo que fazem.

– Uma pessoa adulta que atingiu a maturidade espiritual não dá chilique e não se magoam por isso ou aquilo dentro da comunidade. Pessoas melindrosas demais não servem para ser agente coordenador de nenhuma pastoral.

– O coordenador da Pastoral Familiar tem que sempre reinventar o novo, isto é, cada agente de Pastoral se adequando a sua realidade possível, para chegar próximo da família que Deus quer.

– Depois de formado grupos para o início dos trabalhos pastorais, os batize com temas diferentes para que quando juntos num encontro ou retiro possam trocar experiências.
Ex. o Grupo N. Sra.do Perpétuo Socorro cuida do tema casais em dificuldades, o N.Sra. da Piedade de tudo que envolve os Jovens, o N.Sra. dos Navegantes da Ecologia e Meio Ambiente, o N. Sra. de Fátima em  defesa da vida, o N. Sra. de Anguera da fé, etc.

– Os agentes da Pastoral Familiar que estão a menos de dois anos a frente da coordenação, sempre estarão esperançosos, enquanto que os que estão a mais de dois anos estão felizes com as realizações ou frustrados querendo desistir, repassando a “batata-quente” a quem estiver disposto a pegar.
Por esse motivo é recomendado que o agente coordenador fique no máximo três anos a frente, para que haja sempre gás novo.

– Precisamos de pessoas que façam Pastoral do amanhã. Não podemos ser como acontece em algumas pastorais que vivem de festas, jantares e depois que acabou o evento, acabou tudo.

– Os agentes mais velhos precisam dar apoio aos novos, para que atinjam a maturidade de assumirem os trabalhos pastorais.
Não podem ter medo de ampliar o leque pastoral, pois tem que ser um trabalho continuado. Preparar outros com o mesmo amor ao servir para que todo esforço não seja em vão.

– Deixar como herança aos que chegam: a alegria do trabalho e o servir sem cansaço. Não de cara deixar como herança um desânimo de que nada deu certo e jamais dará. Isso nunca!

– Todos precisam entender que:

Pastoral: é pastorear, acompanhar uma fé que já existe.

Evangelizar: é iniciar do nada um amor, uma fé, se deixar possuir o coração pelo evangelho. Anunciar a fé no Cristo Ressuscitado com o coração tomado, cheio. Deste modo, essa fé nunca passará e sim converterá outros a partir de si mesmo.

– Sintam a Ação de Graças numa evangelização verdadeira, criando o novo dentro do que a doutrina nos permite, com amor fraterno e caridade pastoral.

– Perigo! Pastoral muito ativa!
Querer fazer tudo e não fazer bem nada!

– Para que não caiam no ativismo, precisam estar conscientes que a Pastoral precisa ser:

1- Planejada: com pessoas que crêem no Ressuscitado.

2- Organizada: com pessoas capacitadas e que seus corações ardam pelo Cristo.

3- Avaliada: com encontros ou retiros próprios da Pastoral Familiar com a presença do Padre, para que não se apague a chama.
Estes encontros devem ser de avaliação do que já está sendo feito e de formação de coordenadores para uma continuidade sadia.

– O Padre também tem de estar presente para que faça sua avaliação final com metodologia própria:

1- Tem que levar os agentes a pensarem.
Não pensar só no hoje, pois as escolhas que fazemos hoje são as conseqüências no seu amanhã.

2- Mostrar e amparar no que precisarem.
Depois da escolha feita, da atenção dada, se verificar que não há evolução ou nenhum progresso de algum agente, deixem-no de lado. Isso pode acontecer com alguma família que mais atrapalha do que ajuda, neste caso exercitem a correção fraterna, nunca os mandem embora.
Não podemos ficar na insistência com a mesma pessoa ou família. Coloquem estes a trabalharem com quem já entendeu para que se sintam sobrando e assim, deixem a pastoral por si mesmos. Não estavam prontos.
Passem a se dedicar a outras pessoas ou famílias que precisam.

– Meta concreta: Evangelizar antes de qualquer preparação, seja de batismo, crisma, catequese, casamento e outros.
Precisa ser feito no mínimo três meses de Evangelização antes de qualquer preparação, principalmente os noivos!
Evangelizar os noivos antes da preparação de noivos é fundamental. É neste ponto que podemos salvar as famílias!
O novo casal tem que saber que o Sacramento do Matrimônio é, foi e sempre será indissolúvel, dando o devido valor ao mesmo.
Isso é URGENTE!

– Não se pode ter só um verniz de católico. Os cristãos têm que estar evangelizados.

– As pessoas só passam a serem discípulos à luz do Cristo Ressuscitado, no Evangelho.

1- Tem que terem Sopro Evangelizador!

2- Qualidade dos evangelizadores. É a esperança da Igreja amanhã.

3- A Igreja diz um SIM ao amor incondicional.

– Ajudar as famílias na educação dos filhos.

– É necessário reunir as famílias pelo menos uma vez por mês e fazer convite as famílias que se interessam pelo servir, sendo evangelizadas e evangelizadoras.

– Atraindo pais e filhos para as Igrejas com encontros, não só de formação, mas encontros para trocas de experiências felizes com muita alegria.
Se necessário, façam parcerias com outras pastorais.
Desta forma se faz uma ação preventiva e não remediadora.

– Cuidado ao convidar! Não pode ser agente de Pastoral:

1- Casais que não vivem uma harmonia conjugal.

2- Que tenham vícios.

3- Que tenham temperamento agressivo.

Estar a frente é ser espelho, portanto cuidado!!

Frei Almir Ribeiro Guimarães

Texto: Vanuza Colombo

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: