Skip to content

Jovens e famílias de Fortaleza (CE) marcham pela vida e contra reforma do Código Penal que legalizaria o aborto

12 de novembro de 2012

FORTALEZA, 12 Nov. 12 / 02:44 pm (ACI).- Em nota divulgada pelo jornal Diário do Nordeste, aparecida também no boletim do MDV (Movimento em Defesa da Vida), a capital cearense foi o palco da Marcha pela Vida contra oAborto, campanha organizada pelo Movimento em Favor da Vida (Movida), que reuniu no domingo, 11/11, famílias e muitos jovens, em um protesto pacífico contra a legalização do aborto no Brasil. Segundo a Polícia Militar, cerca de cinco mil pessoas estiveram no evento que contou também com a presença da cantora pró-vida Elba Ramalho.

Segundo assinala o Diário do Nordeste , “a manifestação mobilizou a população cearense contra a proposta de legalização da prática do aborto que se encontra em discussão no Senado Federal desde julho deste ano”.

A cantora Elba Ramalho, que está na Capital cearense desde a última sexta-feira para promover o evento, também marcou presença na caminhada que começou na Praia de Iracema e seguiu pela Beira-Mar. A artista comemorou a participação dos fortalezenses e ratificou sua posição contra o aborto, enfatizando a necessidade de maior conscientização da sociedade.

“As pessoas precisam ter mais bom senso. Nós estamos vivendo uma cultura que dissemina o aborto como se fosse uma escolha apenas da mulher. Precisamos disseminar a cultura da vida”, afirmou a cantora ao diário.

Segundo Luís Eduardo Girão, coordenador da ONG Estação da Luz e membro do Movida, Fortaleza tem importância fundamental para a campanha, pois é onde reside o senador Eunício Oliveira, presidente da Comissão de Constituição e Justiça que analisa a proposta.

Vale explicitar que a legalização do aborto é proposta pelo anteprojeto de novo Código Penal nos seguintes termos:
«Não será criminalizado o aborto durante os três primeiros meses de gestação sempre que um médico constatar que a mulher não apresenta condições psicológicas de arcar com a maternidade».

Segundo grupos pró-vida brasileiros, na prática, se a proposta for aprovada, legalizaria completamente o aborto nos primeiros três meses da gestação.

O texto da reforma, aprovaria o aborto também no caso de que, após uma avaliação médica, a mulher não apresente condições psicológicas para assumir a maternidade.

Uma recente pesquisa da Agência Senado indicou que 82% da população brasileira rechaça a ampliação da despenalização do aborto proposta pelo atual texto do anteprojeto da reforma do Código Penal.

Anúncios
Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: